Obesidade: sedentarismo e má alimentação nas estradas são os vilões dos caminhoneiros

Uma pesquisa realizada pela Fundação Adolpho Bósio de Educação no Trânsito (Fabet) constatou que mais de 70% dos caminhoneiros sofrem de obesidade, uma doença crônica caracterizada pelo excesso de gordura corporal.


Obesidade: sedentarismo e má alimentação nas estradas são os vilões dos caminhoneiros balan%C3%A7a
O estudo feito com 314 alunos do Programa Caminhão Escola mostrou que a maior parte dos profissionais possui circunferência abdominal maior que a considerada razoável (102 cm), além de glicemia e pressão arterial acima do normal, o que predispõe ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares e digestivas, problemas respiratórios, osteoartrite (degeneração da cartilagem das articulações) e diabetes. A causa é clara: maus hábitos alimentares, sedentarismo e consumo de bebidas alcoólicas e tabaco.

Para perder peso de forma saudável, os caminhoneiros devem promover uma reeducação alimentar, incluindo frutas, legumes e carnes magras, evitando o excesso de frituras e doces e diminuindo as porções de cada refeição. O recomendado para um homem adulto é o consumo de 1500 a 1800 calorias por dia. Além disso, sempre que possível, é importante realizar atividades físicas. Para quem vive nas estradas, essa meta pode ser um pouco mais complicada. Uma sugestão é iniciar o programa de exercícios com uma caminhada de 30 minutos, dividida em três sessões de 10 minutos ao longo do dia.

Fonte: cargapesada.com.br/ www.minhavida.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *