Ajustes perfeitos do Fiat Argo ao volante

A performance do Fiat Argo vai muito além dos motores – Firefly com versões 1.0 três cilindros e 1.3 quatro cilindros, além do E.torQ 1.8 Evo VIS de 139 cv. Ela passa por um ajuste primoroso entre transmissão, direção e suspensão, além de uma carroceria sólida, bem construída e com excelente isolamento acústico. No novo hatch, o tuning mecânico recebeu tratamento primoroso, numa combinação que resulta em desempenho, rendimento, conforto, segurança e prazer de dirigir. Tudo isso com a assinatura de uma área de engenharia com mais de 40 anos de tradição no desenvolvimento de veículos perfeitamente adaptados às condições de rodagem na América do Sul.

A escolha dos motores está completamente alinhada à oferta de versões do novo Fiat Argo. Quando o cliente procura modelos mais acessíveis, o consumo de combustível é um item de alta relevância. Por isso, Argo Drive com propulsores Firefly 1.0 e 1.3 são os mais econômicos do segmento. Agora, quando o consumidor optar por um motor maior, fica claro que ele quer performance e ponto final. E o Argo 1.8 entrega, pois quando impulsionado pelo E.torQ Evo VIS 1.8, passa a oferecer o melhor desempenho da categoria.

De fato, e independente da difícil relação desempenho/economia de combustível, o Argo é um carro muito bom de dirigir. A família Firefly, tanto no 1.0 quanto no 1.3 litro, oferece o melhor e mais bem distribuído torque do segmento, dando agilidade as acelerações e retomadas de velocidade, sem a necessidade de espremer o pedal do acelerador a todo momento. A força do Firefly é fruto de uma combinação inteligente da adoção de duas válvulas por cilindro, da alta taxa de compressão e dos mínimos índices de atrito interno. Um motor tecnológico, com alto controle de combustão, é verdade, mas acima de tudo um propulsor de soluções inteligentes altamente eficiente em termos de consumo e entrega de torque.

A família Firefly foi pensada com base em dois pilares: eficiência e confiabilidade. Estas duas bases são as mais importantes para o cliente, pois conciliam o difícil binômio consumo/força. Com cabeçote de duas válvulas por cilindro e comando de válvulas único no cabeçote com variador de fase, tanto o motor 1.0 de três cilindros quanto o 1.3 de quatro cilindros apresentam o menor consumo de energia interna para o acionamento do valvetrain, comparado a qualquer cabeçote de quatro válvulas. Além disso, oferecerem ao cliente o melhor torque e o baixo consumo de combustível que, na prática, é o que todo mundo deseja. Sem perder o prazer ao dirigir, muito pelo contrário, Argo Drive 1.0 e 1.3 trazem notam A no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular e também estão entre os mais fortes do segmento. Com 3 cilindros e 1.0 litro, Argo Drive tem 77 cv e 10,9 kgmf de torque com etanol. Quando 1.3, ele traz 4 cilindros, 109 cv e 14,2 kgmf de torque (etanol).

Agora, se o assunto for desempenho, o Argo pode contar com o E.torQ Evo VIS e se torna o mais potente do segmento. Com 139 cv a 5.750 rpm e torque máximo de 19,3 kgfm a 3.750 rpm (ambos com etanol), as versões Precision e HGT do Argo são as mais potentes e velozes do segmento. Sem perder a vivacidade no trânsito, graças ao coletor de admissão variável, também chamado de VIS (sigla inglesa para Variable Intake System – sistema de admissão variável), que garante mais força em baixos regimes de rotação. Na prática, são dois coletores em um só: até 4.000 giros, o ar que vai para os cilindros passa por um caminho mais longo, favorecendo o torque. Acima dessa rotação, uma aleta é acionada e faz o ar percorrer um trajeto mais curto, gerando mais potência. A esportiva HGT, por exemplo, pode levar o Argo aos 192 km/h de velocidade máxima, com uma aceleração de zero a 100 km/h em apenas 9s2 segundos, os melhores números do segmento.

Ampliando o leque de opções para o cliente, são três tipos de transmissão disponíveis: manual de cinco marchas, GSR Comfort por botões (também com cinco velocidades) e automática de seis marchas. Comum a todos os tipos, o escalonamento preciso extrai a maior potência e maior torque nas mais variadas rotações. Todas também contam com a última marcha na função Overdrive, que prioriza a diminuição de consumo e ruído.

  • Câmbio automático de seis marchas – Pela primeira vez, um carro de passeio compacto da Fiat produzido no Brasil vem equipado com caixa automática de seis marchas – a mesma do Fiat Toro. Essa moderna transmissão faz um casamento muito equilibrado com o propulsor E.torQ 1.8 Evo VIS de 139 cv, proporcionando trocas quase imperceptíveis e reduzindo a rotação em velocidade de cruzeiro. Esse moderno câmbio é um aliado não só para extrair o melhor desempenho do motor, mas também para reduzir o consumo de combustível e baixar sensivelmente o nível de ruído que chega até a cabine. Um dos destaques dessa transmissão é o Neutral Function, recurso que desacopla o motor da transmissão em paradas rápidas de trânsito, evitando aquela sensação de que o sistema está forçando os freios – medida que também ajuda a reduzir o consumo;

  • Câmbio GSR (Gear Smart Ride) Comfort – Essa moderna transmissão automatizada equipa a versão Drive 1.3 GSR, combinando performance, conforto e economia de forma invejável. As passagens de marchas suaves, somadas ao inteligente sistema Auto-Up Shift Abort, que entrega retomadas mais vigorosas, fazem da transmissão GSR uma referência no mercado. E ela vem sempre com paddle shifts no volante, para momentos em que o motorista quer impor seu estilo de trocas de marcha, além do conforto do sistema Hill Holder que evita o desconforto do veículo se movimentar sem intenção nas subidas;
  • Sistema Start&Stop – Item de série em todas as versões do Fiat Argo, ele desliga o motor automaticamente quando o carro está parado. Os benefícios são economia de combustível e menor emissão de poluentes. E tudo isso sem abrir mão da segurança: sensores só permitem que o motor seja desligado se não houver qualquer tipo de comprometimento, seja do veículo ou dos ocupantes. Para ligar novamente o motor após a parada, basta soltar o pedal do freio nas versões com transmissão GSR ou automática; já nas versões equipadas com câmbio manual, um leve toque no pedal da embreagem coloca novamente o propulsor em funcionamento;
  • Direção elétrica progressiva – Sem roubar diretamente a potência e o torque do motor, a direção com assistência elétrica proporciona total precisão e leveza na condução do Fiat Argo. Com respostas rápidas aos comandos do motorista e facilidade superior nas manobras, a direção elétrica é sinônimo da tecnologia a serviço do conforto e conveniência a bordo, e também traz sua contribuição para a economia de combustível;
  • Alto torque em baixa – Comum aos três motores, vale destacar o alto torque em baixas rotações, que resulta em um carro ágil e gostoso de dirigir. É aquela pitada extra de esportividade, quando o motor fica cheio com pouco acelerador, tornando as arrancadas e retomadas mais ágeis, prazerosas e seguras. De quebra, isso ajuda a reduzir o consumo de combustível;
  • Transmissão por corrente – No lugar da tradicional correia dentada para o acionamento da distribuição, o Fiat Argo usa corrente metálica em seus três propulsores. Essa solução proporciona maior robustez e isenção de troca, garantindo manutenção mais tranquila e barata para os clientes;
  • Nada de tanquinho – Os três motores dispensam o uso do tanque auxiliar, aquele que é abastecido com gasolina para partida nos dias mais frios. Um sistema eletrônico aquece o combustível automaticamente quando a temperatura externa está abaixo dos 16 graus e há mais de 70% de etanol no tanque;
  • Calibração da suspensão – Combinação imbatível de conforto e esportividade, sem abrir mão da segurança. O conforto chega na forma do isolamento competente frente às imperfeições do piso, que minimiza as vibrações e solavancos transmitidos à cabine. A mistura de esportividade com segurança entrega um carro de respostas rápidas, prazeroso de dirigir, mas de comportamento previsível mesmo nas situações mais severas;
  • Conforto acústico – Os engenheiros acústicos da Fiat fizeram um trabalho primoroso de isolamento a bordo do Argo, que tem os mais baixos níveis de ruído da categoria em qualquer condição de uso e qualquer medição que se faça (rolamento dos pneus, ruído de vento e índice de articulação). A sensação de silêncio a bordo é próxima de um hatch médio de categoria premium.

E os detalhes do Argo não param por aí!

Logo você vai descobrir cada versão e seus detalhes.

#DescubraArgo

#CarboniFiat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *