Como funcionam as principais coberturas para seguro imobiliário contra incêndio

seguro imobiliário

Quem pretende investir em um imóvel residencial, comercial ou industrial teme pela segurança da propriedade. Uma dessas preocupações está condicionada aos riscos de incêndios. Nesse sentido, milhares de pessoas investem num seguro imobiliário contra incêndio. Porém, muitas pessoas têm dúvidas sobre este tipo de aplicação financeira.

 

Seguro imobiliário contra incêndio em condomínios

Em condomínios, o seguro imobiliário é obrigatório, uma determinação do Código Civil Brasileiro, especificado no artigo 1.346. A lei que tipifica este seguro em edificações abrange tanto no risco total ou imparcial dos imóveis.

O valor para cobrir o seguro imobiliário contra incêndios em condomínios é computado nas despesas ordinárias dos mesmos.

Desse modo, pode-se afirmar que os donos dos condomínios pagam um seguro contra incêndio. No entanto, o vendedor deve informar o comprador do imóvel que este seguro está sendo computado. Normalmente, esta especificação está descrita no contrato de locação e venda dos imóveis dos condomínios.

No entanto, há contratos em que estão especificados que os inquilinos dos imóveis devem pagar uma parte do seguro.

Em outras palavras, a regulamentação do seguro imobiliário contra incêndio em condomínio varia segundo os contratos. Porém, comumente, quem paga o valor é o dono do condomínio.

 

Seguro incêndio em residências

O segundo imobiliário contra incêndio está normalmente relacionado junto à lista de coberturas dos seguros residências.

Nos seguros residenciais estão discriminados a proteção ou reembolso contra incêndios, explosões, roubo, furto, etc. Até mesmo acidentes causados pela natureza (terremoto, enchentes, entre outros) às vezes fazem parte dos seguros residenciais.

Investir num seguro incêndio é importante na proteção residencial. Vale lembrar que os incêndios podem ser causados por fatores internos e externos à residência.

Acidentes dentro do lar envolvendo gás e eletricidade podem provocar incêndios. Já queimadas e atentados criminosos envolvendo incêndio em residências estão relacionados aos fatores externos.

De todo o modo, através dessas referências, já possível identificar o grau de periculosidade que pode acometer as residências.

É preciso acrescentar ainda que os danos provocados por incêndios podem impactar parcialmente ou totalmente os imóveis. Os danos em si podem ou não ser mensuráveis, principalmente se envolve pessoas e objetos afetivos. Os danos estruturais provocados por incêndios são os piores: podem ocasionar da derrubada do imóvel.

 

Proteção do seguro incêndio

O seguro incêndio não consiste na instalação de aparelhos ou instrumentos contra os incêndios. Trata-se de um contrato em que a pessoa é indenizada pelos danos causado pelo fogo na residência.

A abrangência da indenização vai depender de muitos fatores. Contudo, as especificações do seguro imobiliário contra incêndios estão descritas no contrato de seguro.

No entanto, a cobertura do seguro incêndio normalmente abarca os danos causados na estrutura dos imóveis. Além disso, o seguro ainda contempla, como forma de indenização, os bens que foram danificados pelo fogo no imóvel. Investir em seguro imobiliário contra incêndios é importante do ponto de vista financeiro.

Basta imaginar os gastos que as pessoas têm repondo, com o próprio dinheiro, os objetos danificados pelo fogo. Neste sentido, o valor do seguro incêndio é bem menor do que da reparação progressiva dos danos provocados por incêndio.

Considera-se ainda que quando a estrutura do imóvel é comprometida pelo fogo, as pessoas não podem ficar no imóvel. Para esses casos, há seguro incêndios que cobrem o valor de aluguel ou de locações de quartos em hotel. Porém, esse tipo de auxílio deve estar discriminado no contrato de seguro incêndio.

Por fim, o contrato do seguro incêndios, em casa alugada, é de responsabilidade do dono do imóvel. O seguro é especificado nas cláusulas de contrato de aluguel. O pagamento em si do seguro vai depender do contrato estabelecido entre as duas partes: proprietário e locatário.

Em suma, é preciso considerar todos os pontos descritos neste artigo sobre o seguro incêndio. Além disso, para quem irá adquirir um imóvel, é fundamental contratar uma boa companhia que trabalhe com seguro incêndio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *