Ihhh Bati!!!! Entenda como o seguro para automóveis protege o seu patrimônio

seguro para automóveis

Cada vez mais o sonho do carro próprio é conquistado pelo brasileiro. Atualmente, o país possui aproximadamente 46 milhões de automóveis. São 4,4 habitantes para cada 1 carro. E este número só aumenta.

Consequentemente, aumenta também o fluxo de carro nas cidades, principalmente, nos grandes centros urbanos. O horário de pico, considerado pela manhã das 7h às 9h, e na parte da tarde, das 17h às 19h, são bem intensos. E com isso aumenta o número de acidentes, roubos de carro, furtos entre outros.

Para se prevenir dessas situações, as pessoas recorrem ao seguro total para automóvel. Mas apenas 40% dos carros são segurados, o que significa que 27 milhões de carros ainda estão desprotegidos, circulando pelas ruas sem nenhum tipo de proteção.

As pessoas costumam contratar seguro de vida, de saúde, de residência entre outros. Mas o seguro total para automóvel acaba não tendo muita adesão devido ao “mito” de que o mesmo é muito caro e também porque diante de uma crise econômica, ele é o primeiro a ser retirado do orçamento.

 

O custo da segurança

Às vezes tirar o seguro total para automóvel do orçamento ou optar por não contratar um sai mais caro do que barato. Tanto para o dono do veículo, que não estará mais protegido de possíveis problemas como roubos e acidentes, como também os veículos de terceiro que não estarão mais assegurados.

Hoje, se alguém não assegurado batesse seu carro em outro teria que arcar com todos os custos, e seria triplicado se comparado ao custo do seguro. Perder um carro também resulta em redução da receita para os cofre públicos, já que alguém estaria perdendo o seu patrimônio.

Mas é possível fazer um seguro total para automóvel e incluir o mesmo no orçamento financeiro. Com o aumento da frota brasileira, as seguradoras têm fomentado planos adequados ao perfil de cada cliente, investindo também na equipe que vende o serviço e em parcerias, fazendo com que o serviço venha a se tornar mais acessível.

Hoje em dia há diversos planos que cabem no bolso dos brasileiros. Há seguro somente contra furtos e roubos, ou somente para acidentes, ou ainda seguro para carros mais velhos. É só pesquisar bastante e adequar o melhor plano a sua realidade financeira.

 

Dicas para contratar um seguro para automóveis

Contratar um seguro para o automóvel é uma forma de prevenção, pois todos estamos sujeitos às situações citadas anteriormente. E como já dizia o ditado popular, se prevenir é melhor que remediar, segue abaixo algumas dicas para se fazer o melhor negócio possível.

Antes de comprar um carro, simule os preços de seguro dos mesmos, seja com um corretor físico ou em corretoras onlines.

Na simulação se pode verificar quais carros tem o prêmio de seguro (valor pago pela aquisição do seguro) mais em conta, quais automóveis são mais roubados ou ainda quais são os que dão menos idas ao mecânico.

Pesquise também quais carros podem vir a causar mais riscos à seguradora, tornando a apólice dos mesmos mais caras, e por consequência um valor mais alto do seguro.

Exemplos disto são os carros utilitários, e também carros velhos, que por já terem saído de circulação, suas peças não são encontradas facilmente no mercado.

Sempre faça o maior número de cotações possíveis e em diversas seguradoras. Escolha um bom corretor. Seja por indicação ou pela pesquisa de registro do mesmo.

Prefira contratar o serviço numa corretora de sua confiança, pois o atendimento será melhor direcionado do que se contratado num banco.

Ao contratar uma apólice de seguro, verifique se o valor da mesma vale à pena em relação ao que ela contempla. Por exemplo, quando contratado um seguro que inclui danos à terceiros, o valor da cobertura é de apenas 70 mil. E para ampliar esta cobertura para 500 mil, o custo seria de mais 200 reais no seguro.

Porém, o segurado decide não ampliar essa cobertura, mas bateu num carro que valia 100 mil.

A seguradora cobrirá apenas 70 mil que foi o contratado. Em contrapartida, o cliente terá que arcar com os 30 mil que faltarem, que é um valor muito mais alto do que o valor adicional de 200 reais para uma cobertura maior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *