Planeje sua rota: nem sempre o caminho mais curto é o melhor

Muitas vezes pensamos que o caminho mais rápido para chegar ao destino de uma entrega será sempre o mais curto. Porém, nem sempre é assim. Às vezes, o tempo de viagem é afetado pelo trânsito intenso, pelo estado da rodovia e até mesmo pelo perigo que o trecho representa. Tudo isso vai influenciar no valor do frete e na qualidade do seu serviço.
Rodovias curtas, mas em mal estado de conservação podem prejudicar até mesmo no bolso: o desgaste de pneus e peças é acentuado em estradas esburacadas e com obstáculos. A falta de sinalização e a alta incidência de roubos em um determinado trecho são outros fatores que podem significar perigo na viagem. E claro, também temos que pensar na economia de combustível. Por isso, é importante investigar e planejar o melhor roteiro de acordo com diferentes características, buscando segurança, eficiência e pontualidade na sua entrega.



O que observar?
Sempre vão haver pontos positivos e negativos em escolher uma rota para a sua viagem. Em boas estradas, o fluxo de veículos provavelmente será intenso. Já os caminhos mais curtos podem estar em más condições. Possivelmente, será necessário deixar de lado algum benefício, como conforto, em prol de outros resultados como economia e rapidez.
Entretanto, os dois aspectos primordiais para a tomada de decisão são a segurança e o cumprimento dos prazos de entrega. Confira informações sobre a situação da estrada, possíveis obras e cortes na rodovia, além de incidência de acidentes e roubos de carga. Ver o número e a distância de postos de combustível e de pontos de parada para descanso seguras também é fundamental.
Converse com o cliente para saber se há alguma especificação no frete, como restrições de horário de entrega, condições para descarga, possíveis filas de espera, entre outras. Tudo isso deve entrar no planejamento do transporte.
Que ferramentas usar?
Vale a pena contar com recursos tecnológicos para agilizar este processo. Não apenas o uso de um GPS, mas também sistemas de controle logístico que te dão informações de rota, consumo de combustível, postos para abastecer, entre outros dados que ficam guardados para possíveis viagens futuras.
Os aplicativos de GPS como Google Maps e Waze dão informações do trânsito em tempo real, como blitz, acidentes, etc. O cálculo estimativo de tempo neste caso será mais útil para trechos curtos, como entregas urbanas.
Já os sistemas de controle logístico servem para controlar as viagens de toda a frota, com rastreamento de cada caminhão via satélite, o que garante segurança ao motorista em caso de pane, acidente ou roubo. Além disso, é possível analisar o tempo, os gastos exatos e as paradas, entre outras informações. Isso permite ajustar a rota com base em dados concretos, se for necessário.
Qual será o resultado?
O bom planejamento de rota vai se converter em eficiência na entrega, confiança do cliente e economia para o seu bolso. Encontrar uma estrada segura e em boas condições muitas vezes será mais importante que usar o trecho mais curto. Não confie apenas na experiência: aposte em planejar com antecipação cada frete e garanta um serviço seguro e
excelente.
Busque informações sobre o percurso na internet, peça a opinião de outros caminhoneiros, use aplicativos para ajudar na orientação e tente reunir dados sobre as características da rota. Só assim é possível tomar a melhor decisão possível. Boa viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *