Como usar o consórcio para reformar sua casa

Possuir uma casa própria é uma grande conquista e aumenta o conforto de qualquer um – o que não significa que outras melhorias não devam ser feitas. Alguns ajustes podem ser necessários para se chegar a um resultado ideal no imóvel. Já nas residências de longa data, reparos e outras mudanças podem ser uma necessidade mais urgente. Em ambos os casos, juntar dinheiro para este fim pode não ser fácil, sobretudo por serem necessários valores elevados para bancar as reformas que deixem a residência mais espaçosa, aconchegante e bonita. Pensando nisso, apresentamos a seguir como usar o consórcio para reformar sua casa.

Atualmente, a categoria de serviços, que inclui as reformas, atende a mais de 80% da utilização dos créditos obtidos. Por esta via são feitas reformas, obras e manutenção, o que atende tanto residências quanto imóveis comerciais. É o que nos informa a Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio (Abac). Se você quer saber mais a respeito das vantagens e como retirar o seu crédito de imóvel, leia este artigo.

A aquisição da cota deve ser feita por meio de grupos de consórcio imobiliário. Lembrando que a administradora escolhida precisa ser reconhecida pelo Banco Central. Resolvidos estes aspectos, você deve escolher um plano que se adéque ao seu orçamento e baste para o reparo pretendido.
 

Como funciona a contratação de consórcios para reforma?

Seguindo o procedimento acima, você passará a fazer parte de um grupo contendo outros consorciados. Inicia-se a partir de então o pagamento mensal de parcelas do plano. Neste pagamento não incidem juros, havendo apenas taxas administrativas já inclusas no valor a ser observado.

A cada mês um sorteio irá contemplar um participante, dando a este o direito de uso da carta de crédito. Este procedimento acontece em assembleias, onde devem estar presentes os consorciados. Outra possibilidade para obter os créditos é por meio de leilão. Deste modo, o lance mais alto do mês levará a carta.

É importante salientar que para estar habilitado a este consórcio você deve ser o proprietário do imóvel. Ele pode ser urbano, residencial ou comercial, e é preferível que as reformas não alterem a sua estrutura, pois se houver mudança nas suas características um laudo de análise da prefeitura será exigido. No quesito de documentos não esqueça que costumam ser exigidos em todos os casos o orçamento, o memorial descritivo, o cronograma físico-financeiro e a anotação de responsabilidade técnica.
 

Foi contemplado? Saiba como usar o consórcio para reformar sua casa

Afinal, ao ser contemplado com a carta de crédito, como usar o consórcio para reformar sua casa? A liberação e início das obras deverá ser feita após serem apresentados os laudos e documentos mencionados acima. O valor a ser utilizado pode ser voltado tanto para a obra em si, quanto para a compra de material.

O crédito é liberado aos poucos, de acordo com o cronograma estabelecido. Uma obrigatoriedade envolvida neste processo é a apresentação de recibos e notas fiscais ao final de cada etapa. Em alguns casos também serão exigidas fotos como comprovação. As possibilidades de uso incluem um grande número de reformas, serviços, construções, ampliações e reformas – fatores estes que tendem a influenciar na valorização do imóvel.
 

Faça uma simulação com a Carboni

Neste artigo, você conferiu como usar o consórcio para reformar sua casa. Se você quer começar o novo ano investindo em um bem, como imóvel próprio ou carro, visite nosso site. Basta clicar. Aproveite para fazer uma simulação e descubra quanto custa para realizar o seu sonho aqui.