Como o cinto de segurança funciona? Conheça o acionamento e a importância da correta utilização

Ainda nos dias de hoje há motoristas que não utilizam o cinto de segurança, em um ato de negligência quanto às precauções na estrada e desrespeitando a Lei de Trânsito. O uso do cinto pode aumentar em até 25 vezes as chances de sobrevivência do motorista e passageiros, podendo ser o salva-vidas em colisões e freadas bruscas.

O cinto de segurança mais comum encontrado hoje nos veículos é o cinto de três pontos. Por ter uma faixa na cintura e uma cruzando o peito, este cinto evita que a pessoa seja lançada para fora do veículo, ou que colida com a estrutura interior da cabine. Uma tecnologia nos modelos mais modernos de cinto de segurança trava não só quando o carro leva um tranco poderoso, como também em freadas menos bruscas. Para que isso aconteça, basta que algum tipo de abalo seja sentido pela parte do cinto que a gente não vê – que fica enrolada como um carretel na parte interna das laterais do veículo. Quando isso ocorre, a freada faz acionar um pino, que por sua vez dispara o sistema de travamento, brecando o cinto. 
Para ocupá-lo corretamente, mantenha o banco em uma posição na qual o cinto de segurança fique sobre o ombro, e nunca perto do rosto ou do pescoço. Outro cuidado é ver se o cinto está torcido e estendê-lo para fixar o clipe. O cinto torcido não terá a mesma eficiência no travamento e pode ser perigoso. Exija sempre que os passageiros que andem com você também o coloquem, já que a regra vale para todos.
É importante também estar atento ao estado do cinto de segurança do seu veículo. Nas revisões, confira se o tecido não está muito desgastado ou rasgado. Teste o gancho para ter certeza de que funciona perfeitamente, e certifique-se de que o cinto não esteja frouxo. Se for preciso fazer a troca do utensílio, procure instalar o que corresponde corretamente ao modelo do seu veículo. Boa viagem! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *