Empresas podem obter capital de giro através do consórcio

Os consórcios normalmente são associados à compra de um bem, especialmente imóveis e automóveis. O fato de existirem opções até para a realização de cirurgias plásticas já impressiona muita gente. Mas você sabia que os consórcios também são vantajosos para empresas que precisam intensificar o seu capital de giro? Tire todas as suas dúvidas para saber se essa é uma boa alternativa para o seu empreendimento.

 
 

 

Como funciona o consórcio para capital de giro?

Quando falamos em capital de giro, nos referimos a um recurso imprescindível para manter a sobrevivência da empresa. É a quantia que está imediatamente disponível para pagar colaboradores, fornecedores, despesas fixas e outras contas. Normalmente, ele é composto pela receita advinda das operações da empresa, mas é possível que em algum momento as entradas não sejam suficientes para suprir todos os custos.

É nesse momento que muitos empresários recorrem a empréstimos com altas taxas de juros, que acabam aumentando o endividamento. Então, o consórcio surge como uma alternativa financeiramente mais viável.

Os primeiros passos correspondem ao procedimento padrão: escolher uma administradora de confiança e entrar em um grupo de consórcio cuja carta de crédito seja compatível com o valor do capital de giro que você precisa obter. Escolha também a quantidade de parcelas, de acordo com o orçamento da empresa. Normalmente, consórcios imobiliários têm um prazo maior, por isso, são uma boa alternativa se esse for o seu intuito.

Em seguida, a empresa vai pagar as parcelas normalmente e, se desejar, pode dar os lances para tentar antecipar a contemplação. Quando finalmente obter a carta de crédito, ela pode alienar o bem para ter acesso ao valor dele e injetar no seu capital de giro.

 
 

 

Vantagens dessa alternativa

O empréstimo, que é a opção mais adotada por empresários que querem ampliar o capital de giro, tem uma taxa de juros muito alta, diferente do consórcio. Aqui, o empreendedor tem condições de se programar para receber um valor X, já sabendo quanto irá desembolsar e por quanto tempo, tendo a certeza de que o valor investido é praticamente igual ao da carta de crédito que vai receber. Ou seja, a empresa não perde dinheiro nesse processo.

Como alternativa imediata, obviamente pode não ser a mais viável, por isso, o ideal é encarar o consórcio como uma forma de se planejar a médio e longo prazo para fomentar o capital de giro de uma maneira saudável para o orçamento.

Outra vantagem é que para participar de um grupo de consórcio, não há aquele excesso de pré-requisitos que os bancos costumam exigir para conceder um empréstimo. É um procedimento muito mais simples e menos burocrático.

Além de tudo isso, o empresário ainda tem flexibilidade. Por exemplo: em uma época mais rentável para os negócios, você pode dar um lance para antecipar a obtenção da carta ou antecipar o pagamento de parcelas. Fica a seu critério avaliar qual é a melhor solução.

 
 

 

Versatilidade

Graças a todas essas vantagens citadas acima, o consórcio para o capital de giro é viável para empresas de qualquer porte ou segmento. Até porque é possível escolher o valor da carta e das parcelas, adequando ao orçamento do seu negócio.

Entre em contato conosco para tirar todas as dúvidas e dar esse passo tão importante para o seu empreendimento!

 
 
→ Simule seu consórcio para Capital de Giro aqui e se surpreenda com as vantagens!
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *