Seguro prestamista protege seu consórcio e traz vantagens para o dia a dia

Seguro prestamista protege seu consórcio e traz vantagens para o dia a dia ademicon

Conheça o benefício que garante a quitação da sua dívida em caso de morte ou invalidez acidental.

Pouco disseminado, o seguro prestamista vem se tornando cada vez mais importante e ganhado mercado. Criado para proteger as instituições credoras em caso de morte natural ou acidental, ou ainda de acidentes resultantes em invalidez total e permanente do cliente, a modalidade é obrigatória apenas quando o consorciado é contemplado com a carta de crédito e ainda tem saldo a quitar.

Mas uma série de vantagens fica disponível para quem é precavido e contrata o serviço ao adquirir a cota do consórcio. “Além de serviços de assistência residencial básica, como chaveiro, e auxílio funeral para o titular, cônjuge e filhos em caso de falecimento, quem contrata o seguro no início, no caso da Ademicon, tem o saldo valorizado. Isso porque o seguro é composto pelo valor do crédito atualizado mais taxa, e esse crédito é anualmente valorizado pelo índice que o regula, como o consórcio imobiliário que é pelo Índice Nacional da Construção Civil (INCC). Significa que, quem contrata, além de ter a carta de crédito valorizada, caso ocorra algum sinistro, o valor do benefício sucessório — que é devolvido ao beneficiário sem passar por inventário — aumenta gradativamente”, explica Avelino Andrade, diretor master da Ademicon.

Como é calculado o seguro prestamista?

Ao contrário de outros tipos de seguro, o prestamista oferecido pela Ademicon aos seus consorciados não é atualizado pela faixa etária. Afinal, um grupo é composto por pessoas de idades distintas. Neste caso, a parcela do seguro é composta pelo ‘valor do crédito + taxa de 0,038% na Ademicon’, que é atualizada anualmente de acordo com o reajuste anual do crédito, que é regulado pelo índice de acordo com a natureza: imóveis, veículos e serviços.

Para contratar, não é necessário nada além dos dados pessoais do consorciado (nome completo e CPF ou CNPJ), uma Declaração Pessoal de Saúde, que são analisados pela seguradora parceira e a idade limite de 74 anos, 11 meses e 29 dias na data de encerramento do grupo. “Até o momento, a carência imposta pela seguradora é a de Covid-19, que está em reavaliação com a redução dos contágios e da gravidade dos casos”, explica Avelino.

Vale reforçar que pessoas jurídicas não são obrigadas a contratar o seguro prestamista, pois o valor não quitado poderá ser cobrado por meio da empresa. Já para as pessoas físicas, que são obrigadas pela lei 11.975 a contratá-lo em algum momento, Avelino compartilha uma dica. “É possível cotar com outras seguradoras, mas pelo fato de cada administradora já ter uma fornecedora de seguros responsável pela carteira do consórcio para garantir a segurança dos consorciados, as negociações são muito melhores se comparadas aos seguros individuais no mercado”.

Fique por dentro    

Assine a newsletter gratuita do Blog da Carboni para receber direto no seu e-mail as nossas notícias, dicas e ofertas.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *