back to top
InícioCarboni IvecoFPT vai produzir motor elétrico em Sete Lagoas

FPT vai produzir motor elétrico em Sete Lagoas

Fábrica mineira está em fase de preparação para receber novo produto.

A FPT prepara a fábrica de Sete Lagoas em Minas Gerais, para receber a produção do novo motor elétrico da companhia. Segundo o seu novo presidente, Carlos Tavares, a empresa deve habilitar o projeto junto ao programa Mover para adaptar as linhas de produção da unidade.

“Os investimentos iniciais serão de preparação da fábrica e, ao longo deste ano, devemos buscar as aprovações e habilitação da linha para começarmos a produzir o motor elétrico. Como é um produto que já temos em nosso portfólio no mundo, não teremos que investir no desenvolvimento”, disse Tavares em entrevista à Automotive Business.

O executivo não revelou quanto será investido na adaptação da fábrica mineira, mas ressaltou que a produção do motor elétrico deve se iniciar em 2026.

“Ao longo deste ano e do outro devemos colocar o projeto na rua com todas as homologações e aprovações e isso leva um tempo. É provável que esse motor entre em fabricação em 2026”, afirmou Tavares. A companhia, no entanto, informou que o projeto do motor elétrico ainda não tem data para sair do papel.

Além do motor elétrico em Sete Lagoas, o executivo adiantou que a FPT também vai começar a produzir o motor a gás de menor porte na Argentina, o N67. Atualmente, esses motores são importados da fábrica de Turim, na Itália.

Com a expectativa de avanço desses equipamentos na América Latina, a ideia da FPT é trazer essa produção para mais perto da demanda.

Em Córdoba, FPT vai produzir motor a gás

A fábrica de Sete Lagoas disputava essa nova linha de powertrain, mas a decisão da companhia por Córdoba foi concentrar a produção de motores a gás nesta unidade.

“A produção deve se iniciar no ano que vem. É necessário somente uma adaptação da linha de montagem. Existem discussões de exportação desse motor, principalmente para a  África, mas ainda são conversas, nada oficial”, disse Tavares.

“O certo é que esse propulsor deve ser exportado para os países do Mercosul, para ser usado em geradores.”

Para o Brasil, segundo ele, a FPT já tem preparada uma solução para o uso de biogás neste motor em pequenas propriedades rurais.

“O biogás passa por um biodigestor para um processo de limpeza para ser usado em geradores. Já tem um pacote desenvolvido e em aplicação no Brasil”, afirmou o executivo.

FPT também desenvolve motor a etanol

Outro projeto que deve ser levado para Córdoba é o motor movido puramente a etanol. Segundo Tavares, a FPT vai usar a base do propulsor Cursor 13, que é aplicado em veículos maiores e em máquinas agrícolas e de construção, no desenvolvimento do novo conjunto motriz.

O desenvolvimento está na fase de mapeamento da curva do motor. Na sequência, começam os testes de bancada para determinar a potência e consumo e, depois, os testes de campo.

“Isso será feito este ano. Já temos clientes para realizar os ensaios de operação”, expica o executivo.

Tavares justificou a possível produção do novo motor na Argentina. “Já fazemos o Cursor 13 por lá e devemos somente atualizar a linha de montagem. Esse motor entra comercialmente no mercado no início do ano que vem”, disse o executivo.

Segundo Tavares, o propulsor a etano deverá ser usado basicamente em máquinas agrícolas, com foco em usinas de cana-de-açúcar.

“Para esta aplicação, esse produto é mais viável porque o produtor já tem o etanol à disposição. Já em caminhões em operação rodoviária o diesel ainda é mais indicado por causa do custo.”

 

Fonte: Automotive Business.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

MAIS POPULARES

COMENTÁRIOS RECENTES